Sambando no City da Bazar Magic/SP de… ARCHEOPS!

Por Gabriel Semedo

Archeops: Seria ele a tech lendária?

Antes de começar a escrever este texto, eu já respondo se Archeops é mesmo a tech lendária contra os decks de evolução mais apelões do formato, como Rayeels, Blastoise e atualmente Hykrai (sim, ele está de volta ao Tier 1 brasileiro).

A resposta é: DEFINITIVAMENTE NÃO!

Das nove partidas que disputei no torneio, em apenas duas ele foi realmente útil, de resto, ele serviu de descarte para as minhas Ultra Balls e atacante para matar Sigilyphs.

A Ability do Archeops é incrível, não deixa sequer o oponente evoluir, deixando básicos fracotes em campo e cartas inúteis na mão do oponente (Rare Candy + Stage 1 e 2). Porém, é quase impossível fazer Archeops rápido, já que para baixar o Archen você precisa ter SORTE para acertar o Plume Fossil ou “cara” na moeda da Twist Mountain. A mecânica criada para jogar com fósseis é ruim, inviável num formato competitivo.. a média de tempo para baixar um Archeops na mesa seria no Turno 4, mas podendo demorar mais que isso. Raras as vezes que consegui baixar no T2.

Por que usei então essa porcaria?

Por causa de uma aposta com meus amigos. Eu, junto com quatro amigos, prometemos usar todos num mesmo torneio Archeops em nossos decks. Depois de muito estudo, conseguimos fazer uma decklist balanceada e que não nos prejudicasse tanto. De qualquer forma, a sensação era que estávamos usando um deck deficiente, com uma média de 9 cartas a menos.

Para essa aposta, fizemos algumas regras, que deveríamos tentar cumprir:

– Fazer uma list com Archeops
– Ganhar um prize batendo de Archeops
– Algum dos integrantes (no fim das contas, apenas 3 guerreiros usaram) conseguir um Top com Archeops

DECKLIST:

Com grande ajuda da lenda e grande amigo Felipe Rigolino (Caipira), fiz uma lista de LMT baseada na lista que ele usou para sambar no City da KyoHQ/SP. Veja o report dele para o Battle City.

Escolhi essa combinação por ser um deck sucinto, rápido, forte e com espaços para techs. Decidi ser bastante agressivo desde o T1 das partidas, pois sabia que não teria recursos suficientes para duelar de igual para igual no fim dos jogos, devido aos espaços gastos com o nosso amado Archeops. Precisamente nove espaços, porém a Stadium ainda serve para o Tornadus EX e para quebrar outras Stadiums, como Skyarrow Bridge em Rayeels e Tropical Beach de Blastoise/Keldeo.

TORNEIO:

Round 1 vs Rayeels

Abri de Landorus e fiz Archeops no T3. Dei sorte e venci sem problemas.

1-0

Round 2 vs Edgar Shinagawa (Blastoise/Keldeo)

Sempre perco para o Shinagawa, impressionante! Não consegui fazer  T1 de Tornadus nem Archeops no T2. Ele por outro lado fez Blastoise no T2 e armou Keldeos e Mewtwos para dar mais uma surra em mim.

1-1

Round 3 vs Ciro Sakai (Darkrai/Mewtwo)

Ciro é um jogador experiente, sabia que teria problemas. Abri muito bem com Landorus e comecei agressivo. O jogo foi caminhando sempre com uma certa vantagem para mim, até o momento que eu esqueço de pegar um dos prizes ao matar um Darkrai EX dele. Nem chamei o juiz nem nada, combinamos que o jogo seguiria normalmente (teria que pegar o 7º prêmio). O jogo ficou 2×2 Prizes,  e no fim consegui matar mais um Darkrai EX com um Land’s Judgment do Landorus EX.

2-1

Round 4 vs Marcelo Esótico (Blastoise/Keldeo)

Partida muito similar com a do Shinagawa. Minhas poucas techs para vencer não aconteceram e fui engolido pelos Keldeos e Mewtwos.

2-2

Douglas MacArthur: “I shall return!”

Neste momento, já estava desacreditado em qualquer chance de Top 8. De repente, o juiz do torneio, Felipe Ponce, anuncia um problema no TOM (software oficial de torneios premier de Pokémon), e diz que algumas partidas do Round 3 teriam que ser canceladas e teríamos que fazer novas partidas, com oponentes diferentes. Nunca vi isso acontecer antes.

Por sorte, eu estava na lista de jogadores que teriam que refazer a partida. Acho que Arceus queria que eu me consagrasse neste torneio.

Round 4 (o retorno) vs Fábio Boscariol (Hykrai)

Fala sério, além de voltar a rodada eu pego a matchup mais fácil para mim! Quanta sorte para pouco jogador. Por mais sorte ainda, abri de Landorus e comecei a pressão. Ele consegue fazer Hydreigon T2 e eu faço Archeops T3. No T5 eu consigo dar um Land’s Judgment de 80 KO (tinha jogado 60 de Hammerhead + 10 de pluspower) no Hydreigon. Ele fica sem a peça principal do deck e sem energia em campo. Por fim pego os últimos prizes com Land’s Judgment de 150.

3-1

Round 5 vs Hykrai

Olha, nessa partida Archeops fez tudo e mais um pouco. Se todos os jogos ele jogasse tão bem assim,  não tiraria ele do deck.

O jogo começa bem para mim, botando pressão de Landorus. Ele zica no T2 dele e não consegue fazer Hydreigon. Por sorte, consigo fazer Archeops no T3 e travo a evolução dele. Mesmo assim, Hykrai é um deck jogável, por conta dos Dark Patchs, Darkrai, Sigilyph, Shaymin no end game. O oponente decidiu adotar a técnica do Sigilyph, já que percebeu que não tenho um counter direto para ele.

O jogo começa a ficar lento, já que não consigo atacar, só tenho um Catcher no jogo e ele começa a energizar o Sigilyph. Desesperado, começo a energizar o Archeops. Ele começa a socar meus Pokémons EX. Nisso, gasto meu último Catcher, puxo Darkrai EX para frente, subo Archeops e bato 120 KO (ele já tinha 60 de dano) + 10 de dano em 2 outros Pokémons.. escolhi Sigilyph entre eles para tomar 10 de dano. Logo, ele sobe Sigilyph e bate 80 no meu Archeops, mais um ataque desse e eu perco o jogo praticamente. No meu turno, eu baixo dois PlusPowers e MATO O SIGILYPH! (60 do ataque + 20 de PlusPowers + 10 do turno passado = 90!)

O oponente fica batido e sobe um Darkrai sem energia na frente. Sem ter muito o que fazer, eu continuo batendo 120 de Archeops até pegar os dois últimos prêmios da partida, sendo o 5º prize ganho pelo Archeops.

4-1

Round 6 vs Rafael Branco (Darkrai/Bouffalant/Mewtwo)

O Branco é um ótimo jogador, com certeza entra na minha lista de grandes jogadores.

Não consegui fazer muita coisa, o setup dele foi rápido e o Bouffalant que ele fez no T2 passou o trator em mim.

4-2

Com esse placar, a minha ida para a próxima fase do torneio era baixíssima. Eu estava desacreditado, mas meus amigos continuavam a firmes apostando na minha classificação. Já estava desmontando o deck e devolvendo as cartas emprestadas para meus amigos, quando aparece o Rafael Marques falando que EU tinha passado para o Top 8, nesse momento eu largo as cartas da mão e saio correndo pela rua imitando um passáro maluco, que deveria ser um Archeops. Estava comemorando duas coisas, minha classificação para o Mundial de 2013 em Vancouver e um Top 8 com um deck ridículo de Archeops. Minha sensação era de missão cumprida, poderia ir pra casa mais do que feliz. Mas como um bom jogador, contenho minha felicidade e me dirijo a mesa dos finalistas.

Top 8 vs Júnio (Ho-oh)

Entrei no top já tranquilão, minha missão no torneio já estava cumprida. O Júnio estava impossível, fez 6-0 fora o baile. Só ouvia os meus amigos cochichando como ele jogava bem.
E realmente, logo na primeira partida isso veio a mesa. Ele manipulou muito bem o Sigilyph impediu minha habitual pressão de início de jogo e baixou os EX na hora certa para levar a primeira partida, nem pude fazer muita coisa.

0-1

Já olhei para a cara do meu irmão e disse: “Velho, já era, não tem como”. Comecei a partida do jeito que sempre começo, na pressão, arriscando tudo. Abri de Mewtwo, liguei a Double e sai rasgando. Logo no T2 dele, ele já traz o Sigilyph pro jogo e começa a me travar. A mesa dele tinha 2

EX + Sigilyph. Consigo matar os 2 EXs e baixo alguns Archen na mesa, pra tentar matar o Sigilyph. O Júnio percebeu que eu estava batido e sem recursos e decidiu trazer a Ho-oh para o campo e mais alguns EX, queria encerrar a partida ali e agora. Ele faz Energy Switch com as energias da Ho-oh e começa a pressão de Mewtwo, não lembro o Pokémon agora. Nisso eu faço meu ulltimo Catcher na Ho-oh e  bato 100 de Tornadus. Em seguida ele recua e mata meu Tornadus. Eu subo Landorus e dou Hammerhead duas vezes na Ho-oh e consigo a vitória.

1-1

Na terceira partida, ele faz Computer Search no T1 e traz Sigilyph, de novo esse bicho irritante. Começo a fazer Archen e Archeops. Ele abriu de Ho-oh, desceu ainda um Mewtwo, ligou double e veio pra cima do meu Tornadus . Eu desço Mewtwo, Double, recuo e bato 160 . Ele mata meu Mewtwo e energiza Sigilyph. Eu subo Landorus, dou KO e bato 30 na Ho-oh. Ele baixa Terrakion e sobe Sigilyph e vai levando a partida de Sigilyph. Estou batido e já admitindo derrota. Ai aparece Arceus de novo para me ajudar. O juiz declara “3 turnos” (acaba o tempo regulamentar ), os dois tem 4 prizes. Nisso o Júnio decide dar Catcher no meu Archeops, e bate de Sigilyph. No meu turno eu dou Catcher no Terrakion e ligo energia no Archeops. Não lembro como, mas o Terrakion já havia 90 de dano. O Júnio fica com duas cartas na mão sem ter o que fazer, então passa o turno. Eu ligo mais uma energia no Archeops e passo. Os 3 turnos acabam e o juiz avisa que, como os dois players estão empatados em prizes, quem levar o primeiro prize, leva a partida. O Júnio vai a decepção, pois não espera que a regra fosse assim, para ele, o jogo encerreva e começava a morte súbita (um novo jogo, com apenas um prize). Desesperado, dá o último draw, não vem nada e passa. Eu ligo a terceira energia no Archeops e corro pro abraço.

2-1

Top 4 vs Edgar Shinagawa (Blastoise/Keldeo) (a revanche!)

Prometo que serei breve, porque aqui não tem o que falar. As chances remotas que eu tinha de vencer não aconteceram e apenas assisti o Shinagawa sambar em mim. Na segunda partida eu abri de Tornadus + stadium e ele apenas de Squirtle. Ainda fiz Ultra Ball, Archen… e deu coroa. Fiz juniper e não veio a double. Enfim, ali percebi que já tinha chegado longe demais com um deck deficiente. Minha sorte já teria sido esgotada.

0-2 com folga.

Prós:

– Cumprir a promessa.
– Realizar todos os objetivos da aposta com louvor! (6 prizes ganhos com archeops no total e além de entrar no top 8, avancei para o top 4 do torneio)
– Se classificar para o Worlds 13.
– Deixar alguns amigos perplexos vendo Archeops levar 5 prizes na mesma partida, em plena mesa 4.
– 15 boosters de Boundaries de premiação e tirar uma Bianca FA entre eles.
– Saber definitivamente que minha fase é boa e a sorte está do meu lado.
– Apesar de ser uma loja com “Magic” em seu nome, a Bazar Magic fez um ótimo torneio, com uma farta premiação, espaço adequado e excelente organização. Tem o selo Sem Medo de qualidade.

Contra:

– Jogar com a sensação de 9 cartas a menos no deck. Pior que isso, 51 cartas + 9 “lixos”.
– Passar nervoso porque o deck trava e não ter como reclamar, a decisão de fazer essa palhaçada foi minha.
– Archeops não funciona do jeito que precisamos.

Muito obrigado por lerem galera! Espero que tenham se divertido!

4 pensamentos sobre “Sambando no City da Bazar Magic/SP de… ARCHEOPS!

  1. Parabéns Semedo. Pelo report, pelo vaga no mundial e pela colocação em um ambiente tão competitivo um deck falho.

    Tá jogando muito essa temporada, torço por você. Espero estar em casa lá por outubro, vendo ao vivo a final do mundial do Canadá entre você e algum americano, e me emocionar bastante com sua vitória.

    Um abraço, e continue fazendo reports e artigos, estão todos muito bons!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s