Minha experiência no Campeonato Mundial de Pokémon

Olá galera! É bom voltar a escrever no Battlecity. Esse mês de agosto foi insano, muitas coisas aconteceram no universo Pokémon, principalmente o Campeonato Mundial, o qual estive lá em Vancouver competindo.

Foi a primeira vez que viajei para fora do Brasil e consequentemente, primeira vez que participo do Mundial. Dessa viagem trago MUITA experiência! E apesar de meu resultado final ter sido desastroso, inclusive pra mim (2-6 apenas), acho que valeu muito a pena ter feito essa viagem. Se Deus quiser e eu conseguir os pontos para qualificação de novo, espero estar lá em Washington D.C. no ano que vem, para representar o Brasil, bem mais forte e focado que nesse ano.

Bom, mas vamos ao que interessa, contarei como foi minha experiência no Worlds 13:

Dia 1 – Last Chance Qualifying (LCQ) e inscrição para o torneio

Vancouver é incrível, muito lindo.. e o Vancouver Convention Centre (estabelecimento do mundial), fica localizado na área mais nobre de Vancouver, com uma belíssima paisagem, céu azul, solzão… perfeito! Ah, o evento em si também estava muito bonito, com aquele tradicional balão gigante do pikachu e etc.

worlds16

Logo na LCQ, já conseguimos ver um “desenho” mais claro do que seria o metagame do mundial. Mais Darkrais e Blastoise do que se esperava e menos Gothlock do que se esperava. Tendo isso em vista, decidi a noite fazer uma pequena troca em meu deck, substitui meu 3º Keldeo por 1 Mr. Mime.
Então, fechei minha lista da seguinte maneira:

3 Darkrai EX
2 Sableye
2 Absol
2 Keldeo EX
1 Mr. Mime

4 Professor Juniper
4 N
1 Colress
1 Bianca
2 Bicycle
1 Random Receiver
1 Computer Search
4 Ultra Ball
4 Pokémon Catcher
4 Dark Patch
3 Energy Switch
3 Dark Claw
4 Hypnotoxic Laser
2 Virbank City Gym
1 Enhanced Hammer

11 Energias Dark

Dia 2 – O Mundial

Acordei tranquilo, cheguei no torneio tranquilo e sentei pra jogar minha primeira partida tranquilo… e isso é péssimo. Sabe por que? Porque não consigo focar quando estou tranquilo, gosto de sentir a pressão, o frio na barriga, aquela vontade de vencer, o medo de perder. Enfim, gosto de viver ao máximo a sensação de jogar um torneio.. é por isso que gosto tanto desse jogo! Mas ali, naquele momento, não senti nada, encarava tudo aquilo como uma grande viagem (e foi uma grande viagem), e ganhar ou perder ali, não estava significando tanto pra mim (até eu realmente perder e cair minha ficha).

Round 1 – Klinklang (US)

Meu oponente fez o setup rápido, bloqueou meu darkrai, ligou 3 energias no Cobalion EX e administrou o jogo. Ele precisou de apenas 3 turnos pra vencer o jogo.. deu tudo certo pra ele. Minhas techs, meus 2 Absols morreram em 1 hit pro Cobalion.. e os lasers não surtiram muito efeito, switchs e coroas possibilitaram ele escapar de um possível lock.

0-1

Round 2 – Klinklang (ITA)

Ah vei, outro KK? Tudo bem vai, dessa vez eu consegui ser rápido, impedi um setup sólido do oponente e meus Absols realmente fizeram a diferença nessa partida, cada 1 matou um PlasmaKlang, o que permitiu meus Darkrais de brilharem para vitória.

1-1

Round 3 – Blastoise (CZ)

Meu oponente monta 3 Blastoises no T2, incrível!  Tendo isso em vista, decidi ir pra cima dos EX. Por sorte consegui ser bem rápido também e consegui nocautear rápido os Keldeos e meu oponente deu uma boa zicada, Quebrei a tropical beach dele no T3 e ele não conseguiu se reestabelecer depois disso.

2-1

Fui pro almoço feliz… mas quando volto pro torneio e vejo meu próximo oponente…. Jason Klackzynski. (Atualmente tri campeão mundial)

Round 4 – Jason – Darkrai (US)

Se liga, o fdp começa o jogo, liga TRÊS energias no T1 e ainda da Junk hunt de Dark patch e Computer Search. Me fodi ou me fodi MUITO??

Enfim, consigo dar N, jogo laser, faço minhas coisas e dou Junk Hunt. O jogo vai caminhando até a hora que consigo matar o único Darkrai que ele montou com uma jogada top. Baixo um Absol, faço dark patch + energia, ligo Claw, jogo laser e bato 150 (ele ja tinha 30 de spear). Ele não esparava muito isso, porém,  no turno dele ele consegue fazer um Darkrai do zero com Claw e me nocauteiar… AFF.  Mesmo assim, consigo correr atrás do prejuízo e o jogo fica 2×2. Jason tem um Keldeo com 140 de dano no banco e um Mr. Mime (não consigo 30 de Spear). Eu tenho um Darkai com 150 de dano e um Mr. Mime (ele também não consegue 30 de spear). Ai eu jogo de N de 2.. o jogo está decidido pela sorte. E, pela sorte dele, ele compra o catcher, me mostra e fala “luck!”. Acontece:/
Tirando isso, errei muito nesse jogo, principalmente pelo fato de não ter baixado o Mr. Mime mais cedo no jogo (sendo que tinha COMO fazer isso). Se caso tivesse baixado ele 2 turnos antes, e tinha total condiçao de fazer isso, não perderia esse jogo de forma alguma.. droga.

2-2

Round 5 – -Speed Darkrai – Chasey Maloney (CND)  (Campeão Mundial Senior 2012)

A partida foi muito acirrada, lembro desse gordinho muito preocupado, suando frio.  Ele começou o jogo e fez um setup ótimo. Eu novamente consigo virar o jogo. No fim ele da N e consegue fazer, graças a versão speed do deck dele, um Darkrai do Zero pra retomar a vantagem. O jogo fica 1×1, (somos um dos últimos a sair da mesa), ai ele faz uma sequencia de juniper e 2 bicycle, consegue ligar 3 energias em um Darkrai para matar meu darkrai com dano. Essa partida me desanimou muito, cometi uma série de erros primários, coisa que não erro normalmente. Tenho certeza que se errasse um pouquinho menos, teria obtido a vitória.

2-3

A partir daqui, minha classificação já era impossível, então me desliguei totalmente do torneio e joguei as outras partidas apenas pra passar o tempo. Minha desclassificação, aliado aos dois últimos jogos dos quais cometi uma série de erros bobos que não costumo cometer, me deixou muito triste. Nessa hora pensei em parar de jogar Pokémon TCG. Pensei comigo mesmo: “Faço uma ótima temporada, ganho torneios importantes, ganho de jogadores importantes, cometo pouquissímos erros… pra chegar no mundial e começar a errar como um iniciante em seu primeiro torneio? Isso é inadimissível..”

Depois com mais calma, pensei melhor em tudo e vi como estava sendo ridículo:

  • Não deveria ter “desistido” do torneio, isso é atitude de fraco
  • Não deveria ter deixado os erros das rodadas anteriores me afetarem psicológicamente na rodada atual
  • Todos erram, inclusive o Jason, que tomou GAME LOSS por ligar 2 energias no mesmo turno.
  • Cafú foi reprovado em NOVE peneiras antes de se tornar jogador, até levantar a taça de campeão mundial 2002. Imagina se ele tivesse desistido na primeira.. Por que eu na minha primeira temporada quero ser melhor que todos?
  • Tenho muito o que aprender ainda.
  • O mundo é gigante e repleto de pessoas incríveis.

Bom, é isso. Quanto ao que aprendi no mundial?  Acho que é a maior lição de todas foi..

Confie mais em você, nas suas ideias, no seu estilo de jogo, na sua visão, no seu feeling. Ninguém melhor do que VOCÊ vai saber o que é melhor para o SEU deck. Não deixe se levar pela decklist que você viu no Six Prizes, Top Cut ou até aqui mesmo no Battlecity. Não deixe se levar pela decklist que tal jogador famoso está usando atualmente. Talvez você tenha uma ideia melhor, talvez você seja melhor do que realmente pensa que é!

14 pensamentos sobre “Minha experiência no Campeonato Mundial de Pokémon

  1. Sempre falei Sem Medo a melhor opção é o Deck que vc se sentir tranquilo e confiante, independente de Meta game ou indicações. Afinal ninguem sabe o que virá no emparceiramento…..

  2. Mais Parabens…..vc é um ótimo jogador. Gosto muito do seu estilo de jogo. SEU LINDO

    • Me espelho sempre em jogadores TOP, como você, que conseguem sempre dar um passo a além daquele “padrão chato” do metagame!

  3. “Talvez você tenha uma ideia melhor, talvez você seja melhor do que realmente pensa que é!”

    Cara, essa frase vai pro meu TCC =,)

  4. Cara, você está certíssimo, e isso deveria servir de exemplo para todos que jogam TCG para se divertir e competir de forma saudável:

    1. Eu ganhei meus pontos nos Regionais e Citys usando Empoleon; mas troquei o deck por Darkray porque era mais ‘forte’ e ‘consistente’. Consequências: não ganhei mais nada… Motivo: o deck apesar de ser bom não criou aquela ‘ligação’ comigo e essa ‘ligação’ é mais importante que o tipo de deck.

    2. Nunca abandone um torneio (em todos os sentidos) sem motivos porque cada partida é uma nova experiência e a chance de melhorarmos.

    Parabéns para todos nós que tivemos ousadia de jogar o Mundial! Que venha a temporada 2014!!!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s