Report do Renato Simões, top4 em Brasília com Virizion/Genesect.

VGD

E aí, galera. Pra quem não me conhece, meu nome é Renato Simões, sou de Belo Horizonte, Minas Gerais. No pokémon TCG tenho algumas presença em TOP’s de campeonatos locais, como o city de BH e o de Poços de Caldas com 2 TOP 4, mas sem nenhum resultado relevante fora de Minas.

A escolha do deck

Como não estava treinando muito por causa da faculdade, trabalho e tudo isso, não estava seguro com nenhum deck do formato e acabei indo para o Regional do Rio de Janeiro de Ninjask/shedinja, mas antes mesmo do torneio começar, troquei um ideia com o Gabriel Semedo sobre o deck do irmão dele, que fiquei sabendo ser de VirGen Deoxys. Durante a conversa o Semedo me falou melhor sobre o deck, o que eu curti mais foi a proposta de complementar dano e fiquei com o deck na cabeça.

Assim que voltei do Rio comecei a montar minha lista, então fui trabalhando nela durante os testes sem adversários, que acredito que diversas pessoas façam, que é montar a lista, embaralhar tudo, preparar o setup e testar mão inicial, prizes e os primeiros turnos. Em BH não temos muitas oportunidades de treinar e só consegui treinar de fato um dia e não gostei dos resultados, fiz algumas alterações na lista e chegando em Brasília troquei uma ideia com o André Bortoni e no fim das contas a lista ficou assim:

4 Virizion EX
3 Genesect EX
3 Deoxys EX
1 Mr. mime
1 Munna BCR
1 Tropius

2 Plasma Ball
2 Ultra Ball
2 Team Plasma Badge
2 Colress Machine
2 Super Rod
1 Tool Scrapper
1 Switch

2 Plasma Frigate
2 Frozen City

4 Professor Juniper
4 N
3 Colress
2 Skyla
3 Shadow Triad

1 G Booster

10 Grass Energy
4 Plasma Energy

O torneio

Por não ter treinado muito e estar jogando mal desde o lançamento de plasma freeze, sem conseguir me adaptar bem ao formato, não estava confiante pro torneio.

1ª Rodada – Tarso (RJ) – Blastoise

Na primeira partida ele deu muito azar, abriu de Keldeo e eu rapidamente peguei 3 prizes em um keldeo EX e um squirtle, a partir daí a partida ficou mais difícil e a troca de prizes estava equilibrada, mas eu já tinha 3 prizes de frente e ganhei.

Na segunda ele montou muito rápido e foi minando tudo que eu tinha e não consegui fazer muita coisa. Perdi em uma jogada muito boa com Escape Rope para Black Ballista e matar meu Genesect EX.

A terceira foi muito tensa e a mais equilibrada das partidas. Quando o jogo estava parecendo pender para o lado dele, ele ficou dormindo pela ability da Munna por 3 turnos seguidos e consegui matá-lo com Tropius + Team Plasma Badge dando dois golpes de 30 enquanto restabelecia meu jogo ficando com a mão cheia todo turno. No final peguei outros dois prizes com um G Booster no outro Black Balista para o jogo.

Vitória: 2-1

1-0-0

2ª Rodada – Jefferson Velter (SC) – Darkrai/Garbodor

Talvez a partida mais rápida que joguei no torneio. No primeiro jogo eu zinquei totalmente, apenas com Genesect em jogo por dois turnos, tempo suficiente para ele me matar e ainda fazer os danos residuais nos meus pokémon de banco que precisava para futuros KO.

A segunda foi tão rápida quanto, mas pendeu pro meu lado. Eu comecei, Virizion na frente, Team Plasma Badge, Energia do turno. Na vez dele ele baixou Sableye, trocou para o ativo no lugar do Darkrai e não conseguiu Trubbish. No meu turno fui buscar 2 Deoxys e um Genesect, matar o Sableye e depois disso ficou difícil para ele.

A terceira foi bem difícil também, mas esse era um deck que não tive muitas oportunidades de testar contra o meu, então não sabia como jogar contra ele direito. Perdi.

Derrota: 1-2

1-1-0

A derrota que me preparou para o TOP.

3ª Rodada – Desculpe, não lembro seu nome (GO) – Crobat/Mewtwo

Deck estranho e praticamente inofensivo contra VirGen, ainda mais com os constantes 130 em Crobat com o primeiro ataque do Genesect e 3 Deoxys em campo. Duas vitórias tranqüilas.

Vitória: 2-0

2-1-0

4ª Rodada – Desculpe, não lembro seu nome (GO) – Darkrai puro

Partida mais tranquila que Darkrai/Garbodor. Contra esse deck eu já havia testado algumas vezes e não era tão difícil assim. Foram duas vitórias calmas, mas com momentos importantes na troca de prizes. No deck de VirGen, seja qual for sua variante, a troca de prizes é importantíssima, já que em 3 e às vezes até 2 turnos você pode acabar perdendo 3 pokémon EX em seqüência e perder o jogo.

Vitória: 2-0

3-1-0

5ª Rodada – Daniel Nunes (DF) – Blastoise

Essa partida foi a mais difícil do campeonato e a que menos tive chance de ganhar. O deck de Blastoise que o Daniel usa é impressionante pela quantidade de Squirtles você já tem no banco no T1. No primeiro jogo ele rodou muito bem e eu não tive chance.

Na segunda ele deu uma quebrada no ritmo e não conseguiu um Blastoise rapidamente, além dos meus Stadium quebrarem muito o jogo dele tirando a Tropical Beach. Peguei 5 prêmios quando ele jogou N. O N dele ainda estava bom, para 6 cartas, enquanto eu só tinha 1 prêmio. Dei muito azar e ele virou espetacularmente um jogo praticamente perdido.

Derrota: 0-2

3-2-0

6ª Rodada – Nathália Fernandes (GO) – Tornadus EX PLF/Umbreon/Reuniclus

Essa rodada era a determinante, eu era o 10º, como segundo melhor 3-2 e a Nathália era a 9ª, como melhor 3-2, então, quem ganhasse estaria no top. O deck dela também não ajudava, já que é um deck que nunca tinha visto e nem conhecia muito bem o Tornadus, conhecia só o Umbreon e o poder do Reuniclus.

Na primeira partida ela rodou muito bem e no T3 eu desisti quando ela tinha  4 energias plasma no Tornadus EX e dava OHKO em qualquer pokémon meu.

Na segunda foi o contrário. Eu não deixei ela armar reuniclus e ela teve dificuldade de montar Eevee/Umbreon. Eu comecei bem de Virizion EX e ela desistiu quando abri 3 prizes de vantagem puxando o Tornadus EX energizado para frente ligando uma Plasma ao Genesect e matando com G Booster.

A última foi emocionante no início, mas eu dei muita sorte que, depois de matar um solosis, puxei um Tornadus EX energizado para frente e dei Juniper. Saiu tudo que precisava, Plasma Energy e G Booster. Depois de nocautear o Tornadus, ficou mais fácil e eu puxei prizes em um Dialga EX que ela tinha colocado na frente para prender o jogo e um outro solosis que puxei para frente com Red Signal.

Vitória: 2-1

Resultado final do suiço: 4-2-0

Desculpa Semedo.

Passei para o TOP em 7º e fiquei bem feliz. Descobri que jogaria com o Velter e já tinha jogado contra o deck dele no suíço e perdi.

TOP 8

Jefferson Velter (SC) – Darkrai/Garbodor

Agora era diferente e eu sabia o caminho das pedras, então fui à caça dos Sableyes. Nas duas partidas cacei Sableyes. A primeira segurei o Tool Scrapper e joguei na hora certa para buscar 2 prêmios, além de matar um Darkrai com Energy Press do Tropius. Já na segunda, o Velter deu bastante azar e não conseguiu Garbodor, e assim o jogo fica bem mais fácil. O jogo foi relativamente tranqüilo para um jogo de TOP porque o Velter é muito gente boa e não é tão estressado com o jogo. Não lembro muito mais que isso das partidas.

Vitória: 2-0

5-2-0

TOP 4

Marcelo Magalhães (DF) – VirGen

Esse match eu sabia que seria favorável para o meu deck porque ele teria mais cartas mortas contra mim, já que Munna, Hypnotexic e Virbank seriam peso morto no deck dele, enquanto Deoxys seria o diferencial.

Na primeira os dois começaram mal, mas foi melhorando. Foi tudo como esperado e eu ganhei na troca de prêmios por bater mais forte com os mesmos pokémon. Ganhei na troca de prizes.

Na segunda foi bem pior e meu deck não conseguiu suportar o G Booster 2 turnos seguidos e fomos para a 3ª.

Nessa tudo era favorável para mim e eu estava muito bem, mas um erro grotesco que cometi ao não baixar um Virizion EX quando ele tinha matado o meu e eu estava só com 2 prêmios e G Booster pronto, mas não desci o Virizion Ex que estava na minha mão. Sofri um N e um Hypnotoxic que durou 3 turnos e acabei morrendo e levando a virada depois de muitas compras mortas.

5-3-0

Fiquei muito satisfeito com o resultado, mas fiquei indignado com o meu erro no TOP 4, já que foi muito evidente que caso contrário eu estaria na final contra outro VirGen, com chances reais de levar o torneio, mas no fim me conformei e também fiquei satisfeito pelo Marcelo, que é um ótimo jogador e um cara gente boa. No fim queria agradecer ao Semedo pelo espaço no blog e por ter me dado esse toque no Rio que valeu para que eu alcançasse meu melhor resultado em torneios grandes, além do Júnio, Renato Ribeiro e Lucas, que me ajudaram a montar meu deck, além do Bortoni, que me deu a força final já em Brasília, logo antes do campeonato e o Daniel Nunes que me recebeu muito bem em Brasília.

Valeu!

Renato Simões

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s