O Poder de Fogo do Emboar – TOP 8 no City da Comics!

emboar

E aí galera, Robson aqui. Tudo certo? Espero que sim! Hoje vou fazer um report sobre o City que aconteceu na Comics (São Caetano do Sul/SP) que rolou dia 19/01.

Para esse City eu queria muito usar Rayboar (abreviação de Rayquaza/Emboar), pois eu acho que o deck é incrível. Rayquaza-EX consegue nocautear qualquer EX do jogo com certa facilidade, o que abre muitas possibilidades para ganhar o jogo rapidamente e estragar com o setup do meu oponente.

Outra coisa que eu gosto do deck de Rayboar é a impossibilidade do oponente de “techar” contra o deck. Claro, Garbodor é uma ótima tech, considero o deck de Darkrai/Garbodor a pior matchup do deck, mas o que eu quero dizer é que cartas como Silver Mirror, Enhanced Hammer, e até mesmo Tool Scrapper se tornam cartas inúteis, trazendo peso morto para o deck do meu oponente contra mim.

O deck de Rayboar possui uma vantagem grande sobre o deck de Virizion/Genesect, que foi um deck muito jogado nos Regionais que aconteceram ano passado no Brasil e nos Cities dos Estados Unidos. O deck de “VirGen” dominou esses dois torneios e eu queria muito ter uma matchup favorável contra o deck.

Tentando prever o metagame, acreditei que os decks mais populares seriam VirGen e Plasma/Yeti. Eu cheguei a essa lista para tentar obter uma vantagem nessas partidas.

3 Tepig BCR
1 Pignite BCR
3 Emboar NXD
3 Rayquaza-EX
2 Reshiram LTR
1 Rayquaza DRV
1 Zekrom PLF

4 Professor JuniperScan Jan 22, 2014, 4_11 AM-page1
4 N
4 Skyla
1 Colress
3 Tropical Beach
3 Rare Candy
3 Superior Energy Retrieval
3 Ultra Ball
1 Level Ball
1 Heavy Ball
1 Switch
1 Escape Rope
1 Energy Retrieval
1 Energy Search
1 Tool Scrapper
1 Max Potion
1 Dowsing Machine

10 Fire Energy
2 Lightning Energy

3 Tepig BCR, 1 Pignite BCR, 3 Emboar NXD

Essa é a linha de Emboar que eu acabei usando, depois de testar várias (4-0-3, 4-1-3,3-0-3).
Tepig BCR foi o escolhido pelo fato de recuar 1, diferente do Tepig LTR que recua 2. O Tepig BCR tem 10 HP a menos que o LTR, mas eu acho que vale muito mais a pena usar ele. Foram várias as vezes que eu começava de Tepig e recuava logo no T1, para evitar problemas. Além do que me ajudava muito colocar algumas energias no descarte, principalmente as energias de raio.

Eu uso Pignite pra ter certeza de conseguir um Emboar em campo o mais rápido possível, caso eu não consiga achar minha Rare Candy. Pignite BCR tem 90 HP e seu irmão gêmeo da LTR possui 100 HP. Usei o Pignite BCR por vir na Level Ball caso eu precise, o que não aconteceria com o outro.

Bem, Emboar é tudo igual, seja NXD, LTR ou BLW. A habilidade Inferno Fandango permite ligar quantas energias de fogo eu desejar por turno. É a alma do deck e é o que faz tudo funcionar.

3 Rayquaza-EX, 2 Reshiram LTR, 1 Rayquaza DRV, 1 Zekrom PLF

Rayquaza-EX é o atacante principal do deck de forma geral. Seu ataque Dragon Burst consegue nocautear qualquer Pokémon do formato. É algo muito seguro de se usar.

Reshiram é provavelmente o Pokémon mais versátil do deck. Ele é muito bom para lidar com Pokémon do tipo planta (Virizion e Genesect), além de lidar bem contra Pokémon anti-EX como Bouffalant, SIgilyph e Suicune.

Rayquaza DRV é muito bom na mirror match e contra Pokémon do tipo dragão em geral, especialmente Black Kyurem EX.

Zekrom PLF é uma tech contra Empoleon. Vocês verão que eu não joguei contra nenhum Empoleon no City, porém ele foi útil. É um dos poucos Pokémon do deck que consegue causar um dano constante sem perder as energias logo em seguida.

4 Professor Juniper, 4 N, 4 SKyla, 1 Colress, 3 Tropical Beach

Escolhi essa linha de Supporters e não me arrependo nem um pouco. Muitos não usam 4 Skyla, mas pra mim ela é a Supporter mais importante do deck.

Quatro N também é um pouco contraditório, já que eu consigo pegar prêmios rapidamente em EX, mas eu achei que é ideal usá-los, pois é uma carta muito boa no começo do jogo, além de conseguir atrapalhar o oponente caso algo dê errado e eles abram uma vantagem nos prêmios contra mim.

As Tropical Beach são ótimas nessa quantidade também. Faz você não sofrer tanto contra Yeti e aumenta suas chances de abrir com ela.

3 Rare Candy, 3 Ultra Ball, 1 Level Ball, 1 Heavy Ball

Eu considero essa linha de balls bem padrão em Rayboar/Blastoise. Ultra Ball é ótimo com Beach no começo de jogo, você pode descartar cartas, pegar o que precisa e comprar mais cartas com Beach. Level Ball é ótimo no começo de jogo, porém são raras as vezes que eu uso Skyla para pegá-la. Escolho Ultra Ball 90% do tempo, mas de qualquer maneira Level Ball é legal para buscar um Tepig ou Pignite no meio do jogo.

Heavy Ball busca apenas Emboar e Rayquaza DRV do deck, mas mesmo assim vale o espaço, pois é muito conveniente usar Skyla para pegá-la.

Três Rare Candy foi o número que eu achei ideal para o deck, sem afetar consistência nem encher o deck com excessos desnecessários.

3 Superior Energy Retrieval, 1 Energy Retrieval

A maioria dos decks usa 4 Superior Energy Retrieval (SER) e nenhum Energy Retrieval. Nos meus testes eu nunca usei, nem senti necessidade de quatro cópias de SER no deck. Por outro lado, 1 ER é muito bom em várias situações. Reshiram por exemplo descarta duas energias, Rayquaza-EX pode vir a descartar 2 energias versus Black Kyurem-EX. Energy Retrieval consegue muitas vezes saciar a minha necessidade de energia sem que eu tenha que descartar cartas da mão.

Os “um-de-cada”: Switch, Escape Rope, Energy Search, Tool Scrapper, Max Potion

Switch e Escape Rope são cartas de recuo, caso alguém tente travar o Emboar na frente. Originalmente eu usava 2 Switch, mas nem sempre precisava delas. A Escape Rope dá a opção de trocar o ativo do oponente, em um mundo ideal trocar o ativo não-EX do oponente por um EX e vir de Rayquaza-EX para pegar 2 prêmios. Devo admitir que isso não aconteceu no City.

Energy Search é incrível, ainda mais porque eu escolhi usar apenas 2 energias de raio. Ela também ajuda você puxar as energias de fogo do deck e me salvou muitas vezes de ter que usar SER/ER para obter energias necessárias para um ataque.

Tool Scrapper é pra fazer uma graça mesmo e talvez ter alguma chance contra Darkrai/Garbodor. Nos meus testes eu vi que não ganhava de Darkrai/Garbodor com 2 Scrapper e 1 Dowsing Machine, logo, não ia sacrificar espaço do deck para ainda ter uma partida desfavorável contra o deck. Outra coisa que me levou a não usar mais Tool Scrapper foi achar que não ia aparecer muitos Darkrai/Garbodor.

Max Potion foi um toque especial para jogar contra Yeti. O dano do Thundurus-EX faz diferença para nocautear qualquer EX, isso vale para o Rayquaza-EX também. Max Potion na hora certa pode me dar uma vantagem nessa partida.

A Ace Spec: Dowsing Machine

Dowsing Machine é a Ace Spec mais versátil do formato. Num deck com necessidades diferentes a cada partida, Dowsing Machine é com certeza a melhor Ace Spec para o deck. Computer Search seria a opção número 2, mas eu acredito que o deck esteja consistente o bastante para poder não usá-la.

10 Fire Energy, 2 Lightning Energy

Duas energias de raio podem parecer pouco para a maioria das pessoas, mas eu usava três e sempre achava que sobrava. Você só precisa de uma na maioria das vezes, depois disso é só usar SER ou ER pra pegá-las de novo.

Dez energias de fogo é um pouco excessivo talvez. Eu acredito que 9 energias já sejam suficientes para o deck, porém eu queria usar o máximo de energias do deck e usar SER/ER apenas quando fosse realmente necessário.

O TORNEIO

1545216_1440313396199655_789339265_n

Créditos ao Ruimar por essa foto.

Quando cheguei na loja já tinha bastante gente por lá. Troquei uma ideia com uma galerinha e fui confirmar minha inscrição no torneio. Vi o Luiz Guilherme na fila e lembrei que era aniversário dele (Facebook me lembrou). Dei parabéns pra ele e disse que ele representou demais vindo jogar Pokémon no dia do aniversário!

Algo que eu achei ótimo foi o torneio ter começado na hora prevista e o fato de não ter pausa para almoço. A própria Comics faz lanches e as pessoas conseguem comer no intervalo entre os jogos. Pelo que eu vi ninguém reclamou da falta de pausa para almoço, eu acho que isso deveria valer para os próximos torneios da loja.

Sem demora, a primeira rodada sair e eu enfrentaria um oponente desconhecido para mim. Seriam 6 rodadas no suíço e as partidas melhor de 3, o que foi uma surpresa para mim pelo menos.

Round 1 – ?????????? com Blastoise

Desculpem, mas não lembro o nome do meu oponente. Ele era bem novo (uns 15 anos) e estava meio perdido com o ambiente do torneio, perguntando quando entregava decklists e coisa do tipo. Concluí que esse era provavelmente seu primeiro torneio.Seu deck de Blastoise era bem simples, sem nada demais de consistência. Ele usava Black Kyurem-EX, mas o Promo e não o Black Balista.

Na primeira partida eu começo com Reshiram ativo e Tepig no banco contra o Exeggcute dele. Eu faço o setup do meu deck com Beach para comprar cartas. Meu oponente pega minha Tropical Beach para ler e eu penso que ele não sabe o que ela faz. Ele apenas abaixa um Squirtle e passa o turno. Eu consigo fazer T2 Emboar e usar Outrage para nocautear o Exeggcute dele. Ele põe Squirtle ativo e põe um Keldeo-EX no Banco. Eu nocauteio com Reshiram o Squirtle e no turno seguinte o Keldeo com Rayquaza-EX e ganho a partida número 1 com menos de 5 minutos.

A segunda partida ele abre melhor, consegue fazer um Blastoise, mas não cauteloso ao ligar as energias, ligando 6 ou 7 e ficando sem cartas na mão. Eu nocauteio esse Keldeo-EX com meu Rayquaza-EX, assim como nocauteei os outros EX dele pra ganhar o jogo.

1-0-0

Round 2 – Kallil Hanna com Blastoise

Mais um Blastoise na minha frente, mas dessa vez é um deck bem montado. Meu oponente é bem simpático, porém nunca tinha visto ele nos torneios de SP.

Enfim, o jogo número 1 começa comigo indo primeiro. Mais uma vez eu tenho um setup ótimo, porém sem Beach. Apesar disso, consigo fazer Emboar no T2 e usar a Beach que ele abaixou para continuar o setup. Depois disso não lembro muito dessa partida. Um dos highlights da partida foi quando ele conseguiu fazer Blastoise, ele tinha um Squirtle ativo e recuo para colocar Black Kyurem-EX na frente. Depois disso ele consegue Rare Candy para Squirtle e liga 3 energias de água no Black Kyurem vindas em sua Juniper. Talvez ele não tenha se tocado na hora, mas recuando o Squirtle sem Blastoise ele não ia conseguir usar Black Balista por precisar de uma energia de raio e já ter usado sua energia do turno. Ele acaba causando 120 com Slash no meu Rayquaza EX. Por sorte eu tinha uma Max Potion e nocauteio o Black Kyurem, então ele vem com Keldeo-EX, mas com apenas três energias, que é nocauteado logo em seguida pelo mesmo Rayquaza. Não demora muito e eu levo o jogo 1.

Segundo jogo foi um pouco engraçado. Ele começa e tenho a mão perfeita para meu setup no T1, porém ele dá N e eu não compro nada além de energias, Ultra ball e algum Pokémon inútil, acabo usando Ultra Ball por Tepig e passando. Meu oponente basicamente compra e passa o turno. Eu consigo um Emboar de “top draw” e evoluo o Tepig, pois tenho Rare Candy na mão, mas apenas passo após isso.

Então começa pelo menos uns 3 ou 4 turnos de cada um comprando e passando, até que eu compro um Skyla que uso para pegar uma Juniper. Meu oponente consegue — ou já tinha e não quis usar — um N, que acaba não ajudando em muito ele. Eu finalmente consigo fazer algumas coisas no meu turno e meu oponente no mesmo marasmo. Daí o jogo flui muito melhor para mim, e na troca de prêmios eu tenho vantagem nele. O tempo acaba mas eu sei que não tem como eu perder o jogo e ele acaba aceitando a derrota.

2-0-0

Round 3 – Augusto César Castilho “Gudy” com Big Basics

652797_original

Não apareceu para arruinar meu dia

O Gudy estava jogando ao meu lado na rodada anterior, então já sabia do deck dele. Também vi que ele não usava Garbodor, o que era um alívio para mim.

Devo admitir que estava esperando uma partida bem favorável para mim, mas no fim das contas foi uma partida bem “pegada”. Se não me engano eu começo a partida e ele abre de Landorus-EX. Eu consigo de novo T2 Emboar e no meu T3 eu nocauteio o Landorus-EX dele com Blue Flare e Outrage do Reshiram. Ele usa bastante Bouffalant (acredito que 3) e dois deles estavam quase totalmente energizados, o que me preocupava muito. Eu não lembro muito da partida, mas consigo pegar alguns prêmios com Reshiram nos Bouffalant e acabo levando o primeiro jogo.

No segundo jogo as coisas vão mais ao meu favor do que para o dele. Essa é mais uma partida que eu não consigo lembrar de detalhes, além do meu último turno. Eu ligo 4 energias no meu Reshiram e 4 no meu Rayquaza-EX no banco (1 de raio e as outras de fogo). Reshiram usou Blue Flare e pegou um prêmio no que eu acredito ser um Bouffalant, me deixando por apenas um prêmio. O que eu fiz foi dar um “checkmate” nele, tendo as energias no Reshiram para recuar e colocar o Rayquaza-EX e nocautear qualquer Pokémon dele. Ele pensa um pouco no turno dele — nesse momento o tempo já acabou e estamos dentro dos turnos finais. Eu penso que o único modo dele ganhar tempo é com Hypnotoxic Laser, que ele não tem aparentemente. Ele vê que não tem como ganhar e recolhe as cartas.

3-0-0

Round 4 – Fábio Lona com Blastoise

Mais um Blastoise!! Antes da partida eu comento com ele que eu enfrento ele em todos os torneios. Tem sido assim desde o Nacional de 2013. Sobre o jogo, minha memória está horrível para lembrar dos jogos, parece que os dois jogos se misturam.

Em resumo, jogo 1 eu consigo trocar os prêmios de melhor forma. Eu lembro que ele chega a estar 2 prêmios contra 4 meus, mas eu consigo encaixar 2 N seguidos e usar meu Rayquaza DRV inteligentemente para forçar o sétimo prêmio. Eu acabo levando a partida no fim das contas.

Na segunda partida eu não lembro de quase nada. Pro fim do jogo, o tempo acaba e ele está atrás em prêmios. Eu acredito que dentro dos três turnos ele não conseguiria ganhar e eu já estava ciente da vitória. Apesar da vitória, foi um ótimo jogo, porém Rayboar tem uma certa vantagem contra Blastoise.

4-0-0

Round 5 – Carlos Alberto Barros “Magicarlos” com Stoutland

Eu lembro ver esse deck na primeira rodada após terminar minha partida e dizer “Que deck é esse?”. Confesso achar que ele não ia conseguir ganhar a primeira partida, porém estava completamente enganado após ver ele continuar X-0-0 a cada rodada que passava.

Na rodada anterior a essa, ele estava sentado na mesa ao meu lado e quando olhava para sua área de jogo via ele sempre na vantagem contra um deck de Virizion/Genesect. Quando fui jogar contra ele confesso estar com medo, pois não sabia como o deck funcionava, além das coisas que eu vi de relance da sua partida.

Na primeira partida ele consegue o “lock” com Stoutland. A partida fica feia pra mim, pois não consigo adiantar meu jogo, porém eu consigo Emboar montado nesse meio-tempo. Eu consigo encaixar uma Escape Rope e puxar um “cachorrinho” ativo. Eu apenas causo 20 com Reshiram, tentando adiantar meu jogo. Ele não consegue muita coisa, ele não tem energias nem Supporters. Eu consigo agora usar Supporters e ligar energias no Reshiram, Zekrom e Rayquaza DRV do meu banco. Eu começo a pegar prêmios e ele continua travado, até que ele decide começar a segunda partida pois vê que já está muito atrás.

Na segunda partida não tem jogo pra mim, ele monta além dos “cachorrões” um Dusknoir para mover o dano do meu campo. Eu tento achar uma saída para ganhar, mas não tem como, porém eu continuo o jogo, pois começo a ver que teria de levar o jogo para o empate. Eu acabo perdendo o jogo após diversas jogadas dele atacando e movendo danos inteligentemente com Dusknoir.

Começa o terceiro jogo e por volta do T3 ele usa um Ghetsis e destrói qualquer chance do meu deck ganhar a partida. Sorte minha que o tempo está curto e logo ele acaba. Entramos nos três turnos e vejo que ele não consegue ganhar dentro do tempo determinado. Ele continua as jogadas mas os três turnos acabam sem vitorioso. Ele com certeza ganharia se tivesse mais tempo, tive sorte!

4-0-1

Papeleta da mesa 1: Battle City!

Round 6 – Gabriel Semedo com Garchomp/Haxorus

Enquanto a gente aguardava anunciarem a sexta rodada, eu e o Gabriel comentamos de empatar caso fôssemos emparceirados.

E foi o que aconteceu, deu para relaxar e ficar de boa conversando com o Lona e o Magicarlos, que também resolveram empatar.

4-0-2

Depois disso o top 8 ficou assim:

1. Marcus Lunde com Blastoise (5/1/0)
2. Felipe Ponce com Blastoise (5/1/0)
3. Carlos Alberto Barros com Stoutland (4/0/2)
4. Gabriel Pino Semedo com Garchomp/Haxorus (4/0/2)
5. Robson Elias com Rayquaza/Emboar (4/0/2)
6. Fábio Lona com Blastoise (4/1/1)
7. Daniel Semedo com Virizion/Genesect (4/1/1)
8. Fábio Kletlinguer com Rayquaza/Emboar (4/1/1)

TOP 8 – Gabriel Semedo com Garchomp/Haxorus

Chegou a hora de ter que jogar com o Semedo. Um dia antes a gente tava testando e eu nem queria jogar a partida Rayboar vs. Garchomp pois já sabia que a surra seria certa.  Essa partidas são bem favoráveis pra ele e ele estava sempre na frente nos dois jogos.

Em resumo, no primeiro jogo eu busco não bater de Rayquaza-EX, pois não queria perder 2 prêmios facilmente. Eu procuro abordar a partida com Reshiram e Zekrom. No entanto, ele usa 1-1 Altaria e Reshiram não é tão forte contra ele. Eu consigo usar também meu Rayquaza que nocauteia o deck dele inteiro com Shred, porém o Rayquaza também consegue ser nocauteado em 1 hit pelo Garchomp. Eu começo a usar Emboar para atacar, mas não é suficiente pra levar a partida e logo ele leva a primeira.

Na segunda eu vejo que preciso do Rayquaza-EX, e começo a usá-lo em conjunto com o “Rayquazinha” para nocautear os Garchomp sem dano algum, deixando Reshiram, Zekrom e Emboar pra baterem nos Pokémon com dano dele. A minha estratégia dá um pouco mais certo esse jogo, mas ainda sim ele possui uma vantagem. Eu chego a pegar 5 prêmios, mas nesse momento já estamos nos três turnos finais pois o tempo tinha acabado. Eu vejo que não tem como ganhar e o Semedo passa para o top 4.

CONCLUSÃO

Créditos ao Júlio Borges pela foto.

O torneio foi muito legal, não teve atrasos que nem no último Regional da Comics. Talvez melhor de 3 fosse um pouco exagerado para um City, talvez com melhor de 1 o torneio seria mais rápido e menos cansativo. Esse fato com certeza afetou alguns jogadores, pois ao achar que seria melhor de 1 escolheram um certo deck ao invés de outro.

Parabéns para o Gabriel Semedo que venceu o torneio. Devo admitir que não achava a escolha de deck dele tão boa, mas depois de ler seu report e ver suas explicações, eu vi que o deck tem mais potencial que eu imaginava. Daniel também mandou bem demais, o cara essa temporada já pegou 2 top em 2 torneios que jogou e com certeza muito mais virão. Foi muito legal ver o Felipe Ponce também, um cara que não via nem trocava ideia desde o ano passado, fiquei muito feliz por ele ter feito top 8 nesse torneio. Parabéns pelo Magicarlos com seu deck de Stoutland que deixou todos do torneio boquiabertos com sua performance. Outro cara que jogou de Rogue mas infelizmente não pegou top foi o Léo Gonçalves. Seu deck era muito interessante, com Magnezone e algumas techs como Latias-EX e Sigilyph DRX. Parabéns pela criatividade dos jogadores!

Eu também fiquei bem feliz pelo meu top 8, consegui 20 CPs, que já alguma coisinha para deixar no ranking, pelo menos não sou um completo zero à esquerda. Eu curti muito meu deck, mesmo sendo um pouco fora do comum, sem usar cartas como Exeggcute ou Electrode, mas sentia que o deck era forte o suficiente sem essas cartas. Foi algo que eu vinha planejando a usar desde o ano passado (desde um pouco antes dos Regionais), mas naquela época não me sentia preparado com o deck. Fiquei muito satisfeito com minha lista e honestamente não trocaria nenhuma carta.

Queria dizer que fui muito sortudo e azarado ao mesmo tempo. Eu enfrentei matchups em que eu tinha uma vantagem natural. Fui sortudo também por não enfrentar o deck de Yeti, um deck que eu temia jogar contra e não tinha tanta certeza de sair vitorioso. Meu azar eu diria foi não enfrentar um único deck de Virizion/Genesect, uma partida que é praticamente autowin, mas o bom é que no fim deu tudo certo.

Valeu por quem testou comigo, em especial o Pedro Dossi, Shinagawa, Semedo e o Dieguinho. Queria agradecer ao Pedro por emprestar a terceira Tropical Beach do meu deck, com certeza fez total diferença.

Valeu por ler até o final. Espero reports de várias outras pessoas, tomara que vocês se animem de escrever um!

Abraços!!

8 pensamentos sobre “O Poder de Fogo do Emboar – TOP 8 no City da Comics!

  1. Robs,eu vi que no seu deck tem algumas cartas da noble victories e Legendary treasures,essas cartas estão valendo aqui no Brasil nos cities desse ano?
    Não é NXD-On o formato?

  2. Quer dizer que se a carta for relançada eu posso usar ela sem ser o re-print?
    Mesmo as cartas que são relançadas como secretas e shiny?

  3. Obrigado,isso vai me ajudar muito.
    E a propósito,parabéns pela colocação,até fiquei meio surpreso de com esse deck ficar no 5 lugar,achei que ficaria um pouco na frente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s