Resumão para Nacional – Introdução

Olá a todos! É muito bom estar de volta. Graças ao apoio da BazarPokémon, o Battlecity voltou a vida no melhor estilo Ho-oh EX, chegando do nada (as vésperas do Nacional) e cheio de energia. (Amo/sou trocadilhos).

pokemon logo

Minha primeira missão com o retorno do nosso querido e amado blog vai ser preparar pra vocês um resumão TOPPER para o Nacional. Certamente isso exige muito trabalho, então vou dividir nosso resumão em partes, que tentarei disponibilizar até o fim da semana que vem.

 

Certo, vamos começar pelo começo. O nosso DeadLine para se preparar para o Nacional é dia 6 de Junho. Significa então que temos um pouco mais de duas semanas até o grande dia. Terminando todas as partes do resumão até o fim da semana que vem, ainda teremos mais uma semana pra focar nos últimos testes para o dia D.

Segue um sumário rápido do que basicamente será o resumão:

  1. Introdução – Lista e variantes dos principais decks do nacional
  2. Análise de deck – Parte 1 (Segunda – 25/05)
  3. Análise de deck – Parte 2 (Quarta – 27/05)
  4. Análise de deck – Parte 3 (Sexta – 29/05)
  5. Final – Conclusão / Ideas Rogue / principais situações e ameaças do Nacional e como escapar delas (Segunda – 01/06)

 

Espero que no fim da nossa saga vocês se sintam melhor situados no formato e escolham o deck mais adequado para se saírem bem. Lembrando que a Roaring Skies é uma coleção muito recente e pouca ideia foi divulgada mundo afora, é bem possível no Nacional aparecer ideias originais que não foram abordadas aqui.

 

Lista de principais decks:

 

Tier DEUS

 

 

Tier1

 

Tier 1.5

Tier 2

Tier 3 ou Tier Rogue

 

 

 

Vou fazer uma análise breve de todos os decks da lista, só para entenderem um pouco da razão de ela estar esquematizada dessa forma. Nós próximos posts eu vou aprofundar em cada um desses decks.

 

 

Tier DEUS

 

Seismitoad EX

 

Na minha visão é o Pokémon a ser batido. Não foquei em um deck de “sapo” em específico porque existem várias variantes dele e todas elas muito boas e com propósitos semelhantes. Vou abordar na análise de deck as principais variantes de Seismitoad EX. Sapo vai além dos poderes “comuns” de uma carta boa de Pokémon. Yvetal EX é um exemplo de uma carta muito boa, bate muito forte com pouca energia, Já Seismitoad EX vai mais fundo, consiste em te prejudicar em procedimentos básicos do jogo, principalmente em impedir de te atacar e isso é um problema muito complicado de ser driblado. É difícil medir uma partida ruim pra Sapo, porque todas as partidas ele vai vir babando pra arrancar suas energias e parar seus itens afim de fazer você travar. Não importa o deck do adversário, se ele não conseguir atacar, vai acabar perdendo.

 

Tier 1

 

Rayquaza EX “Branco”

 

O deck sensação da Roaring Skies chegou com enorme Hype e para minha surpresa, está cumprindo tudo o que o Hype prometia. O deck realmente consegue bater 240 no turno 2, ou com um pouquinho (só um poquinho) de sorte até no turno 1 é possível conseguir essa proeza. Eu nunca vi isso nunca antes na história desse jogo. Obviamente não é as mil maravilhas, o deck tem algumas falhas/fraquezas, a principal delas é o Fim de jogo, onde o deck demonstra um pouco mais fraco do que de costume ao clássico “N pra 1”.

 

Primal Groudon EX

 

O Primal Groudon só estava esperando tranquilamente o Mega Turbo sair pra sair do Tier 2 pra assumir de vez o posto de Tier 1. Sua fama de lento ainda persiste mesmo com Mega Turbo sendo a carta que Groudon pediu a Deus. O deck ainda pede parceiros para acelerar seu jogo (Landorinhos) ou então desacelerar o jogo do oponente (Wobbufeet), para não perder o ritmo da partida. Sua lerdeza ainda continua sendo sua principal fraqueza.

 

Night March

 

Meu deus como esse deck voa! Danos altíssimos que ultrapassa a casa dos 200, sendo desferidos rapidamente, e de quebra ainda existem versões do deck constituídas 100% de atacantes Pokémon não EX (apesar de eu preferir a versão com Mew EX).

 

Tier 1.5

 

Landorus EX / Crobat

 

A grande força do deck é a de produzir muito dano com apenas uma energia e de forma “maleável”, ou seja, que atinge muito bem não só o ativo, mas o banco do oponente também. O principal carrasco do deck é o Seismitoad, a partida é bem complicada, mas longe de ser autoloss, Se não fosse a bad match para Sapo, Landbats estaria facilmente no meu Tier 1.

 

Metal

 

Não acho um deck de ataque forte, mas vejo ele como um ótimo deck de defesa. Ele me lembra a seleção da Itália na Copa de 2006, um time sem graça, mas de defesa fortíssima, que conseguia marcar seus gols na brecha do adversário. Pokémons como Cobalion EX que tira energia especial, Aegislash que bloqueia energia especial e Dialga EX que trava Pokémon EX de atacar são o trio ternurado deck.

 

Rayquaza Dragão

 

Fiquei me perguntando se era muito pretensão da minha parte colocar ele na posição de Tier 1.5. Acontece que nos meus testes esse deck se saiu bem melhor do que eu esperava! É um deck veloz e com um Pokémon Chave muito difícil de ser nocauteado, graças ao seu ancient trait. Seus Pokémons de apoio, Reshiram e Hydreigon EX são ótimos também, garante mobilidade e velocidade para um bixo tão pesado quanto o Ray Dragão.

 

Tier 2

 

Trevenant/Shaymin

 

É um deck novo que apareceu recentemente. Tem a chance de travar item no T1, que é BEM forte. O lado ruim é que é um deck que depende de um certo Setup, o Trevenant ataca com 3 energias, se optar pelo Gengar EX é a mesma coisa, ainda vai precisar investir slots para float stone. Vi também jogadores usando o Shaymin EX como atacante, mas acho um trabalho desnecessário para dar um “Quacking Punch” alternativo, afinal, o intuito é o mesmo, bater 30 e parar item (Oi?)

 

M-Manectric EX

 

Assim como Seismitoad, manectric pode ter muitas variantes, a mais popular é combinar com Pokémons de água. Mas, nada impede que você combine ele com qualquer tipo de Pokémon do jogo! Eu inclusive já fui muito bem em torneios combinando Manectric com Dark, com lutador, com fogo e com água. O problema do Manectric fica por conta do dano baixo no formato atual, de apenas 110 e a fraqueza a lutador (Donphan, groudon, Landorus, Medicham).

 

Raichu/Leafeon

 

É um conter natural dos dois principais decks do formato, Rayquaza e Sapo. Essa combinação foi muito popular no japão, uma vez que o metagame de lá era recheado de Sapo, Primal groudon, Rayquaza branco e Yveltal. Contudo, o formato do Japão é BEM diferente do nosso, já que lá o formato é BW-ON, ou seja, vale desde toda a Black And White. A ideia do deck está pegando no ocidente, mas com certeza não tem a mesma força de lá.

 

Virizion/Genesect

 

Longe de ter a força que teve na temporada passada, ainda é o melhor deck que enfrente sapo. Tem como vantagem sua consistência, o Gbooster e o Red Signal do Genesect. O grande problema é que muitos decks atuais chegando no dano de 200+ muito rápido e fácil. Resumindo, um deck que coleciona Goodmatchs preciosos como Seismitoad e Primals (Kyogre e Groudon), mas coleciona também várias badmatchs, como Flareon, Nightmarch, Rayquazas (dragão e branco), Landbats e etc.

 

Flareon

 

Teve um boom enorme há uns 2 meses atrás, logo em seguida o Hype abaixou e os players aprenderam a lidar com a força do deck. Ele chega na Roaring Skies como um deck Tier 2, mas com potencial pra bater de frente contra qualquer deck. O mais novo problema de Flareon é que o formato conta com muito mais Megas do que antes, e bater 200+ de Flareon se torna uma tarefa um pouquinho mais complicada.

 

Primal Kyogre

 

Assim como Groudon, Kyogre e Mega turbo são perfeitos, era como se algo estivesse faltando pra ele. Na teoria o Mega turbo vai permitir Kyogre atacar no turno 2, coisa que era praticamente impossível antes. Mesmo com Mega turbo pra corrigir a principal falha do Primal Kyogre, o dano dele que ele desfere ainda é estranho. Bater 150 significa que você quaaaase vai matar um Pokémon EX, mas não vai matar. Isso ainda é a brecha que o deck de Kyogre vai deixar, permitindo que o oponente “respire” um pouco mais na partida.

 

Yveltal EX

 

Um dos Pokémons mais temido do jogo perdeu muita força ao longo da temporada. Começou como Rei e agora cai para Tier 2 na Roaring Skies. Acontece que os Megas chegaram, entre eles o Mega Manectric EX, o grande carrasco do deck. Outras partidas como Rayquaza Branco e Sapo também são muito difíceis pra ele. Contudo, Yveltal não é o tipo de Pokémon que podemos medir com palavras, ele sempre surpreende com a sua agressividade, mas confesso que o ambiente não tá muito legal pra ele não.

 

Tier 3 (Rogue)

 

M- Gallade e M-Latios

 

Coloco eles no Tier 3 pois pelo pouco que vi, ainda não achei nada que me convencesse dar uma chance a eles na lista. Ambos fazem parte das novidades da Roaring Skies, então sempre tem alguém que pode fazer esses Pokémons jogarem no Level hard, surpreendendo a todos e a mim. Eu boto mais fé no M-Latios, realmente gosto do ataque de 120 no banco. Acredito que se eles não jogarem agora no Nacional, em algum momento da próxima temporada eles terão sua vez de brilhar.

 

Stage 2

 

Sim, eles têm a chance de retornar com sucesso nesse Nacional. De uma forma geral, graças ao Wally, o processo de evolução dos Pokémons stage 2 ficarão muito mais fáceis de serem relizadas mesmo após um irritante Quacking Punch. Um grande exemplo pode ser Empoleon/Magnezone, que já esboçou um sucesso nos States do Estados Unidos ou qualquer Pokémon Stage 2 combinado a um bom punhado de Miltanks.

 

 

Conclusão

 

O objetivo desse post de introdução era justamente jogar as cartas na mesa e entender brevemente o porque elas estão lá. Agora o segundo passo é aprofundar e compreender o que são essas cartas e como devemos usar e reagir com elas.

 

Espero que tenham gostado do retorno do Battlecity e fiquem espertos nos próximos posts que vão sair nos próximos dias.!!

 

 

Ah! Se você está precisando de cartas pra montar seu deck, dá uma olhada lá na Bazar Pokémon! Pode confiar, nosso patrocinador possui preços bem honestos e um bom estoque das principais cartas. Dúvida? Dá uma conferida lá então, sério!

 

Obrigado por terem lido e logo menos tem mais!

8 pensamentos sobre “Resumão para Nacional – Introdução

    • Acho que o deck perdeu muita força devido ao Shaymin EX. Só de baixar você enche a mão. E em muitos casos é fácil atacar com ele e voltar novamente para a mão. Mas claro, bem observado, é necessário fazer uma menção sobre Eggs, mesmo que não o veja como um deck forte para a competição.

      I think the deck lost so much power because of Shaymin EX. You just have to drop to the bench and fill your hand. In most of the cases is very easy to attack with shaymin and scoop to your hand again. But sure, I need to put Eggs in the list, even if I think eggs isn’t a good a choice for the competition.

      Obrigado!!

  1. Where is the continuação?
    Gostei bastante da análise, ansioso pelos próximos posts.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s