Resumo do Nacional Americano

 

Olá a todos! Neste último final de semana aconteceu o grandioso Nacional Americano de Pokémon TCG. Com cerca de 900 jogadores apenas na Master, esse torneio chama atenção do mundo todo que gosta de Pokémon. Acredito que durante a final do TCG, chegamos a cerca de 20.000 pessoas no Twitch TV. Enfim, os números são animadores e o jogo vem crescendo ano após ano, especialmente no Brasil.

Com um torneio tão grande e com bastante jogadores de alto nível, a tendência é que vejamos ótimos decks, seja rogue, semi rogue ou metagame, além de jogos muito bem jogados, graças a jogadores como Jason Klacyznski e Dylan Bryan.

Principalmente para os jogadores que almejam chegar longe no Mundial de Pokémon, esse torneio é uma grande lição de casa, que deve ser vista com muita calma e atenção.

Então, o que tiramos de lição deste evento? O que podemos aproveitar ? O que devemos desconsiderar? Quais são os próximos passos de agora em diante? Bom, eu tenho algumas coisas em mente e é isso que vou compartilhar com vocês.

 

Análise rápida

 

De acordo com um dado que vi de uma pessoa no Facebook (desculpa pela fonte não ser das mais confiáveis), o top 64 foi composto por:

 

  • 17 Seismitoads ( 9 Seismitoad/Bats e 8 Seismitoad/Garbodor)
  • 8 M-Manectrics (3 Manec/Garb, 3 manec/Suicune/Ninetails e 1 Quad Manec e 1 Manec/ water / Black Kyurem EX)
  • 8 Rayquaza (7 Metal/Rayquaza e 1 Rayquaza branco purao)
  • 6 Metal (3 KK/Metal e 3 Metal Purao)
  • 4 Landbats
  • 3 Raichu Bats
  • 3 Night March
  • 3 Wailord EX
  • 2 Primal Kyogre EX
  • 2 Primal Groudon EX
  • 2 Land/Raichu/Garb
  • 1 Hippodown/Seismitoad/Land
  • 1 Archie Blastoise
  • 1 Flareon
  • 1 Donphan
  • 1 Yvetal/Garbodor
  • 1 Trevenant/Gengar
  • Bunnelby Lock (Que deck é esse? Se alguém souber me conte!)

 

 

Cadê os Landbats??

Eles foram counterados.

Se olharmos para o top 64, a situação do Landbats estava bem prejudicada. Vou fazer uma análise rápida com uma porcentagem (%) por cima do que eu acho que seriam as badmatchs do landbats.

 

17 Sapos (65/35)

8 Rayquaza (55/45)

3 Metal Purao (60/40)

3 Klinklang Metal (65/35)

3 Wailord EX (80/20)

2 Primal Kyogre (70/30)

1 Yvetal/Garbdoor (60/40)

1 Archie/Blastoise (70/30)

 

Total: 40

A grosso modo, temos 40/64 decks que tem pelo menos 55/45 contra Landbats, mas em sua maioria com boa vantagem. Acho que isso explica porque não vimos Landbats no top 8.

O poder do deck é indiscutível e acredito que o top ser repleto de decks fortes contra landbats é proposital, justamente porque um dos motivos é vencer Landbats. Não acredito que devemos descartar Landbats, já que o meta está em constante mudança. Por exemplo, Virgen cairia bem nesse top8, então é possível jogadores considerarem VG pro mundial, se isso acontecer, Landbats ficara feliz da vida, já que é uma matchup muito boa. Meu conselho é pra não desconsiderar Landbats ,acho ele tem espaço pro mundial pois os holofotes agora estão em outros decks e conceitos.

 

 

O brejo está de volta

Acho que a maioria dos jogadores já meio que esperavam que Sapo iria voltar né? Tava bom demais pra ser verdade um metagame sem sapo. Antes do nacional americano rolaram outros nacionais mundo afora e neles apareceram poucos decks de Sapo no Top. A moda era Landbats, Donphan, Raichubats, nightmarch… coisas assim, agressivas. Esses nacionais só prepararam o terreno pro Sapo voltar, seja a versão com garbodor ou a versão com Bats.

Quacking Punch é um ataque muito forte, muito forte mesmo. Ao combinar esse ataque forte com um parceiro tão forte quanto, como Bats, Garbodor ou Dusknoir, ele tem condições de vencer qualquer coisa. Quem já jogou com uma dessas versões sabe no fundo que o Trump Card não era 100% essencial para o sucesso do deck, já que o Disrupting é muito mais moderado que as versões de Sapo/Slurpuff ou Sapo/Shaymin.

Obviamente nunca mais será aquele deck apelativo ultra forte, mas ainda continua sendo um deck Tier 1 do formato, mas agora bem mais nivelado com demais decks, como Metal, Manectric, Stuff/bats e Rayquaza.

Nessa era pós Trump Card eu acho que a galera de certo modo tacou o “foda-se” demais pra sapo. Os jogadores começaram a construir seus decks sem pensar tanto na matchup contra sapo e isso só contribuiu para o sapo obter sucesso.

 

 

Metal: um deck neutro e bem posicionado no Meta

No nacional do Canadá o jogador Chase “The Kid” Moloney provou a todos que um simples deck Standard de Metal era o bastante para obter um posicionamento muito adequado no metagame e obter sucesso (ou melhor, o título Nacional Canadense).

No Nacional Americano alguns jogadores pegaram carona na ideia do “The Kid” e utilizaram metal também. O Dylan Bryan foi um pouco mais além e encaixou uma line de 3-2-2 Plasmaklang pra dar aquela reforçada contra EX.

O deck conta com várias opções de atacantes, com vários tipos de efeitos e tudo mais. Porém, a grande estrela do deck de Metal é sem dúvidas o Aegislash EX e sua habilidade que trolla Pokémons que ataquem ele com energia especial. Tirando os decks de Manectric EX (ainda depende da variante), acho que todos os decks do formato utilizam energias especiais em sua composição.

 

 

Wailord: a surpresa do Nacional

Todos devemos pagar um pau pro cara que criou o deck porque foi sim uma ideia de gênio. Foi uma percepção incrível e muito bem adequada ao metagame.

É nessas horas que você fica incrédulo e pensando como esse mundo é grande e existem pessoas incríveis nele. Os jogadores que criaram o deck não são conhecidos e nem são consagrados por conquistarem torneios ou terem feito decks incríveis, talvez o criador do deck nunca mais crie nada tão criativo como esse deck, mas de qualquer forma, essas coisas só acontecem porque existe milhares e milhares de pessoas jogando Pokémon TCG e estão sempre em contato com coisas novas e diferentes. Neste momento pode ter alguém descobrindo um novo “Wailord” para o Mundial, ideias fantásticas podem surgir a qualquer momento.

Wailord.dec é a prova viva de que uma ideia incrível pode te levar a uma final de um torneio com 900+ pessoas, sem precisar ser um Jason Klacyznski.

Escolher um deck bom é fundamental, ser bom jogador é fundamental, estudar e testar é fundamental. Mas se existe uma coisa que pode anular todas essas três características, é um rogue boladão.

 

Ao se deparar com um Rogue forte, a tendência dos 3 fatores se torna:

  • Deck bom: o Rogue tem como objetivo counterar os decks existentes, o que torna seu deck bom em uma escolha não tão boa, apesar de ser ainda ser um deck forte.
  • Bom jogador: Por mais que você seja bom jogador, jogar contra algo que não se conhece vai te induzir aos erros, justamente por não ter ciência do que você está combatendo. Imagine-se você no 1o round do Nacional Americano e se depara com um Wailord (ninguém no mundo conhecia o deck ainda). Tenho certeza que seus primeiros pensamentos seriam: “dei sorte, peguei um noob”, ou “deve ser wall de Donphan, Palkia ou “deck de stage2, talvez blastoise ou wall pra Empoleon”, ou deve ser aquele Bad Deck Monday que o Pooka fez uma vez de “Wailord/Aurorus”. Em seguida, ao perceber que ele tem várias Wailords e não faz praticamente nada, você pensa que ele está zicado e por isso vai pra cima com tudo para nocautear tudo e levar os 6 prizes rápido. Nesse meio tempo você percebe que ele usa inúmeras cartas de cura, mas até ai normal, noobs geralmente tem mania de exagerar em certas coisas. Ai faltando 5 cartas para seu deck acabar, você finalmente percebe a ideia do deck do oponente e fica chocado de vez.
  • Estudar/Testar: esse é o item que o Rogueiro ama ser Rogueiro. Quando um Rogueiro entra em um torneio, ele espera pegar todo o estudo/teste do oponente e jogar tudo na lata de lixo, afinal, o oponente vai enfrentar algo que nunca estudou e testou antes, ao contrário do Rogueiro que cansou de treinar contra os decks do metagame.

 

O enorme Hype no Facebook e no boca a boca + a divulgação das 60 cartas do deck de Wailord no site oficial da Pokémon antes do top8 desgataram bastante o “fator surpresa” do deck, que permitiu que seus oponentes, inclusive o Jason, pudesse criar uma réplica do deck, testar alguns jogos na madrugada de sabado e ter tempo de bolar uma estratégia para colocar em prática quando chegasse a hora. Tenho certeza que se na final houvesse uns 30% do poder de fator surpresa que o deck teve nos primeiros rounds do suíço do Nacional, o resultado seria diferente.

O título nacional do Jason foi bastante ofuscado pela magia do Wailord, por mais que o Jason tivesse dado uma AULA de Pokémon TCG por sua partida épica na final. Para muitos jogadores, o Wailord ainda foi o “campeão moral” desse Nacional.

Quanto ao deck em si, não vou comentar sobre ele pois já foi muito falado ao longo dos dias. Acredito que ele seja forte ainda mesmo sem fator surpresa, mas não seria minha escolha para o mundial. Jogando adequadamente muitos decks podem se virar nessa partida, fora que 1 Bunnelby é o suficiente para arruinar o deck. No mundial não vou usar tech contra Baleia, até porque nos últimos dois mundiais houve um Hype grande por 2 rogues, Gothtelle em 2013 e Pyroar em 2014… ambos se deram bem no Nacional e falharam no mundial. Prefiro que o resto do mundo se prepare bem pra vencer baleia e abram o caminho pra mim hahaha.

 

Conclusão

O que eu queria cobrir com esse texto eram justamente essas curiosidades acima. Landbats foi mal pois foi muito counterado, mas ainda acho que pro mundial pode ser uma boa escolha pois a tendência o meta é mudar, Sapo voltou porque relaxaram demais contra Item Lock, é bom counter de Landbats e porque Quacking Punch é animal e não vai ser um mero Trump Card que vai destruir isso. Metal é uma escolha segura e adequada, com partidas equilibradas em todo ambiente e baleia é um deck incrível, jogar com ele deve ser um tédio, jogar contra ele deve ser irritante mas o que devemos reverenciar é a ideia, a sensação que eu tive ao ver esse deck é que o criador do deck descobriu um “Glitch” no TCG, ou seja, descobriu um “erro de programação” que “descontrói” os princípios original do jogo, por ser um deck que não usa cartas de energias e nem sequer ataca.. apenas compra e passa.

O resto do Nacional americano, como listas, entrevistas e tudo mais é possível encontrar no site da Pokémon, nos grupos de Facebook ou em outros blogs gringos/nacionais. De resto acredito que muita coisa ainda vai ser discutida por ai ao longo dos dias até o mundial praticamente.

Obrigado a todos e até a próxima!

 

 

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s