Amor aos cachorros: Top8 Nacional

 

E aí,

Depois de muito tempo do nacional, decidi reviver minhas partidas e compartilhar meu deck do amor com vocês. Tenho uma paixão imensa por esse deck, principalmente por essa lista, e só tenho a agradecer ao meu namorado, Gabriel Semedo, por ter me ajudado a construir a melhor e mais consistente lista.

No Nacional desse ano, decidi usar um deck que estava usando a temporada toda. Acho que explorei o máximo do deck, e sinto que não teria como eu ter usado um deck que me fizesse tão feliz e que fosse tão bom. Testei vários decks para o nacional, principalmente Night March. Estava jogando bem com o deck até, mas não era um deck que me deixava segura, principalmente por ser o deck que todo mundo colocaria “tech” contra.

Decidi ir com o deck de Mega Manectric. Sabia que seria um deck que eu perderia para um deck de Night March bem montado, mas que teria chance contra um deck de Night March que não tivesse tão bem montado e que não tivesse, principalmente, xerosic ou megaphone, já que foquei na estratégia de usar Tool Retrieval e Assault Vest. E era um deck que eu tinha certeza que eu conseguiria jogar contra todos os outros decks além de Nigh March, então decidi arriscar.

Segue a lista:

decknathalia
A lista para mim é redonda e não tem muito o que inventar. Porém, algumas cartas eu senti que realmente precisavam estar no deck e que jogariam bem contra vários decks, como:

  1. Giovanni’s Scheme: 
    Antes de usar Giovanni eu usava Birch, e realmente estava sendo muito inútil para mim. Decidi que precisava de algo que pudesse me ajudar a dar um dano um pouco mais alto, como 130, que seria muito bom contra Greninja e mirror. Além do dano a mais, o Giovanni pode ajudar a comprar carta se a situação estiver realmente muito complicada. Usei ele para comprar poucas vezes. Mas foi uma carta que me ganhou alguns jogos, com certeza.
  2. Tool Retriever:
    Contra vários decks eu sentia a necessidade de tirar o Spirit Link para colocar outra tool ou, as vezes, se eu não tinha Manectric em jogo mas tinha o Spirit Link e precisasse dar um Sycamore, então podia ligar o Spirit Link em algum Pokémon para depois usar o Tool Retriever e mover para o Manectric para conseguir fazer o Mega. Com certeza é uma das minhas cartas favoritas do deck e sinto que o deck não roda bem sem ela. Ela é crucial contra Night March, pois consigo tirar o Spirit Link e ligar o Assault Vest. Contra Greninja ela era importante para conseguir trocar o Spirit Link pela Muscle Band, para conseguir bater 130 e nocautear o Greninja em uma. Além disso era útil em diversas situações pois eu tinha a flexibilidade de conseguir trocar as tools dependendo da situação do jogo.
  3. Assault Vest:
    Vários decks usam energia especial, então seria mais como uma tech para aguentar alguns turnos a mais. Contra Vespiqueen o Assault Vest, junto com o Parallel City, quase me garantiam a partida. Contra Night March me ajudava a não morrer em um hit e segurava um pouco o jogo. Foi, basicamente, a única tech que coloquei no deck contra Night March pois sabia que não teria muito o que fazer, independente da carta que colocasse.
  4. Muscle Band:
    Uma boa carta contra tudo. Ela tem a mesma função do Giovanni basicamente, e foi bem útil contra Greninja e mirror.
  5. Max Potion:
    Foi a carta que mais me ajudou a contornar certas situações muito complicadas contra decks que provocavam danos muito altos, como TurboToad. E funciona muito bem com o ataque do Mega Manectric, o Turbo Bolt.
  6. Float Stone:
    O switch não estava me sendo tão útil, já que na maioria das vezes que eu precisava recuar um Pokémon, era contra Item Lock. Então decidi que usaria Float Stone ao invés do Switch, por que, mesmo contra Item Lock, se eu tivesse um turno de brecha, como o T1, eu conseguiria ligar a Float Stone no bicho de maior recuo, SEMPRE a Hoopa Ex, e deixava lá para caso tivesse a necessidade de recuar no futuro. Com o Tool Retrieval também conseguia mover de um Pokémon para o outro, se tivesse a necessidade.
  7. Parallel City:
    Com certeza minha carta favorita do deck inteiro. Me arrependo de não ter colocado mais uma cópia. Era uma carta muito boa contra tudo basicamente. Me salvou diversas partidas contra Trevenant, já que eu conseguia reduzir meu banco a 3 e descartar Shaymin Ex com 90 de dano, ou algum bicho que estivesse próximo a ser nocauteado. O mesmo serviu para Greninja também. Contra Vespiqueen me ajudou bastante pois reduzia o dano dela em 20, o que, somado com um HP de 210, faz uma enorme diferença. Contra Mega Rayquaza ajudava bastante a reduzir o banco do oponente, e evitar um dano muito alto. Além do mais, era uma boa carta contra decks que também usavam apenas Rough Seas, como TurboToad. Conseguia reduzir o dano do Seismitoad Ex e do Greninja em 20.
  8. Jirachi Promo:
    Serviu mais como uma carta para salvar jogo contra SapoTina ou tentar ganhar uns turnos contra Night March.

Uma das coisas que mais me perguntaram no Nacional foi o por que de eu não estar usando foi o Jolteon Ex então listei alguns motivos:

1. Não era autowin contra Night March.
Testei com 3 cópias, 2 cópias e até 1 cópia. Nenhuma dessas foi muito efetiva contra Night March, o maior problema do deck, já que precisava de um combo muito grande para conseguir fazer o Jolteon Ex rápido, apenas com energias básicas, e sem nenhum Pokémon no descarte.
Confesso que conseguia fazer o Jolteon Ex fácil com Double e Max Elixir, porém, se eu tivesse um Pokémon ativo, já seria mais difícil de o Night March não ter outro alvo. E também se o Jolteon Ex estivesse com uma Double ligada, o Night March, com certeza, iria buscar ao máximo o Xerosic. Levando em consideração que você só tem no máximo 4 Double, e o Night March, consegue, por meio de VS Seeker e Puzzle of Time, usar o Xerosic por diversas vezes, você iria conseguir bater de Jolteon Ex, no máximo, 4 vezes. Sendo que, durante isso, você teria que ficar em busca de Double e de Lysandre para matar Shaymin para conseguir ganhar o mais rápido possível já que logo menos perderia as Double.
Se não focasse nas Double, teria que baixar Manectric, fazer o Mega para conseguir dar Turbo Bolt. Se fizesse isso perderia o jogo, já que, o  NM consegue dar Escape Rope e nocautear o Jolteon, e se não tivesse a Escape Rope, iria atrás do Manectric para nocautear ele mesmo. Nas duas situações, você teria um Pokémon Ex no descarte, o que facilitaria para o Night March, já que ele poderia conseguir o target whistle e nocautear o Ex que estivesse no descarte.
A única maneira de ser efetivo seria se conseguisse fazer no T1 o combo dos sonhos:
Um Pokémon ativo, Jolteon Ex no deck, 2 Max Elixir, energia básica da mão, e conseguisse dar AZ no ativo. Lembrando que não poderia descartar nenhum Pokémon.

2. Não era muito útil em várias partidas.
Não vejo ele como uma carta que seja muito favorável contra algum deck. Sinto que outras cartas podem ajudar MUITO mais do que o Jolteon, como por exemplo, o Raikou. O Raikou me ganhou várias partidas contra TurboToad, já que eu conseguia aumentar o dano a medida que fosse ligando energias elétricas, e com a ajuda do Giovanni e Muscle Band, eu consegui, algumas vezes, fazer ele bater um dano de 190.

3. Precisaria mudar todo o deck para encaixar ele.
Não ia conseguir jogar com Flash por que teria que colocar Double, e nem sem Max Elixir com ele, já que, para ele ser efetivo e ser feito no Turno 1, eu precisaria do combo Max Elixir + Double. E eu até tentei fazer ele entrar no deck para ser um “dependente” do Turbo Bolt, mas também não era muito bom, já que não era muito útil contra várias partidas.

Vou tentar fazer um breve report do Nacional:
(Se a ordem estiver errada, peço desculpas mas não lembro muito bem a ordem certa)

1°: SapoTina:
Eu conseguia ganhar, mas acabei empatando por um erro meu.

0-0-1

2° Greninja:
Meu oponente zicou bastante e eu consegui fazer o jogo bem rápido.

1-0-1

3° SapoTina:
Lembro que foi um jogo bem complicado, por que no começo do segundo jogo eu acabei perdendo meu Jirachi por um descuido para o Latios Ex, mas acabei conseguindo virar o jogo e ganhei o segundo o jogo.

2-0-1

4° Zoroark Break:
O dano de 140HP era muito complicado para o deck, pois precisava da Muscle Band e do Giovanni. Graças ao Rough Seas eu conseguia ficar curando meus Pokémons, mas demorava 2 turnos para conseguir nocautear um Zoroark, enquanto que ele demorava quase o mesmo tanto para nocautear. Consegui reduzir meu banco com o Parallel City, o que ajudou bastante no final do jogo.

3-0-1

5° Trevenant:
Eu sabia que se conseguisse jogar um turno, era um jogo bem favorável, já que consigo curar meus Pokémons com o Rough Seas, e o Trevenant normal tem 110HP. Porém, se fizesse o Break, a coisa já complicava um pouco mais, já que 160HP é um dano basicamente impossível sem o Raikou, já que o Raikou nessa partida não era muito bom já que a habilidade não funcionava. A troca de estádios favoreceu nos 2 jogos, com isso consegui ganhar.

4-0-1

6° Fairy Box:
Sem duvida foi uma das partidas mais complicadas que joguei no Nacional. O deck do meu oponente estava muito bem montado, e era um deck que se curava com mais facilidade que o meu até. O Xerneas Ex foi um grande problema, porque, num descuido meu, eu acabei deixando o Jirachi no banco, e em dois turnos ele acabou sendo nocauteado, e ele era uma carta muito importante nessa partida. Na 1° partida, acho que tinham 2 Max Potion dele no prêmio e ele acabou não conseguindo comprar elas no prêmio. Na 2° partida, joguei mais na defensiva e acabou que ganhei de Over Deck.

5-0-1

7° Night March:
Simplesmente não consegui fazer nada. Basicamente tomei donk as duas partidas.

5-1-1

8° Zoroark/Sapo/Gallade:
Já imaginava que meu oponente tinha Gallade, então tentei fazer bem rápido o Raikou para conseguir nocautear Gallade em um hit quando ele subisse. No 1° jogo a Gallade ou o Maxie estavam no prêmio, então eu consegui abrir uns turnos de vantagem e acabei ganhando. No 2° jogo ele conseguiu fazer a Gallade mas eu já tinha o Raikou montado para nocautear.

6-1-1

9° TurboToad:
Foi a partida mais difícil do suíço, por que o dano do Sapo é muito alto e ele cura no meu próprio Rough Seas. No 1° jogo, meu oponente começou fazendo o Regice, então foi atrás de fazer o Raikou, e acabei ganhando. No 2° jogo, meu oponente começou meu agressivo com o Grenade Hammer. Consegui controlar com o Rough Seas e a Max Potion, até que ele conseguiu o Articuno. Ele estava por 3 prêmios e eu por dois. Acabei baixando um Shaymin Ex a uns turnos atrás, e não conseguia mais puxar ele de volta para a mão. Dei um dano no
Sapo com o Mega Manectric, e passei. No turno dele, ele conseguiu dar Lysandre no meu Shaymin e bater 80 com o Articuno. No meu turno, não consegui nocautear o Articuno, então sabia que se ele tivesse Lysandre provavelmente iriamos empatar o jogo. No turno dele, ele deu Lysandre no Shaymin…Só que nenhuma moeda deu cara!!!! Com isso, meu Shaymin Ex ficou com 100 de dano. No meu turno, subi Raikou e consegui bater 190 no Sapo que estava no banco.

7-1-1

Fim do suíço. Consegui passar para o TOP32 em 4° lugar. Fiquei muito feliz por ter pego o Top32, e por ter pego o Top32 com o meu namorado ainda.
Agora as partidas do Top32:

1° Trevenant: Diego
Como já falei aqui, sabia que se eu tivesse um turno de que eu pudesse usar item, eu conseguiria jogar bem. Ele não conseguiu me dar o lock no T1, então consegui jogar. Ele zicou bastante e acabei ganhando o 1° jogo. No 2° jogo, ele começou super bem, fazendo o Trevenant no T1, porém ficou sem energia. Com isso, consegui fazer o Mega, e não tinha muito o que ele fazer mais, por que, acho que tinham umas 3 energias no prêmio dele.

8-1-1

2° Night March: Victor
Enfrentei o mesmo oponente que já tinha enfrentado no suíço. No 1° jogo consegui dar T1 no Joltik dele, e ele não tinha mais Pokémons básicos. Nos dois outros jogos, consegui jogar bem, o Assault Vest segurou bem o jogo, mas acabou que ele conseguiu ganhar os outros dois.

8-2-1

3° Manectric/Ho-Oh: ???
Nessa partida eu sabia que não ia adiantar ficar dando dano em Manectric, que eu precisava ir atrás dos Shaymin. Meu oponente precisou baixar os dele para conseguir jogar, pois imagino que estivesse zicado. Eu baixei os meus, mas acabei descartando pois baixei o Parallel City. Com isso, consegui ganhar o primeiro jogo. No 2° jogo, meu oponente acabou zicando e não teve muito o que fazer. Acabei ganhando.

9-2-1

4° Manectric: Cláudio Ferla
O Ferla é um grande amigo, então eu sabia que era um deck muito parecido com o meu, só que ele usava Jolteon Ex. Nos dois seguimos a mesma estratégia de buscar o Shaymin do outro, e acabou que foi assim os dois jogos.

10-2-1

5° Night March: Lucas
Empatamos

10-2-2

Acabou o Top32 e logo iria começar o Top8.

Eu tinha noção que se pegasse as partidas certas, poderia conseguir ir além do Top8, já que não joguei contra Night March no Top8, o meu pior problema.

Minha partida do Top8 foi contra o Douglas, ele estava jogando de Mega Rayquaza incolor. Diferente do que muitos pensam, não é uma partida fácil para o Manectric, mesmo tendo o fator fraqueza envolvido, por que ele conseguia fazer um dano alto e muito rápido. Eu sabia que se eu conseguisse sobreviver ao Turno 1, as chances de ganhar seriam bem altas, já que seria 2 prêmios contra 2 prêmios.

No 1° jogo, eu comecei muito bem, recuei o Manectric com energia, e esperei. Ele conseguiu dar Lysandre dele, mas não conseguiu atacar. No meu turno eu recuei e acabei fazendo 2 Mega no banco, cada um com uma energia. Ele não conseguiu dar Lysandre, e não atacou. No meu turno, consegui recuar o ativo, dar Lysandre no Rayquaza com energia e acabei ganhando aquele jogo.

No 2° jogo, vim sem básico por 4 vezes. Quatro cartas a mais para o Mega Rayquaza são cruciais para que ele conseguia fazer tudo que precisa, já que depende muito de Hoopa Ex e Shaymin Ex. Ele conseguiu fazer um banco grande, e um Mega Rayquaza no banco. No meu turno, fiz um Manectric no banco com uma energia e passei. Estava muito zicada, por que ele conseguiu dar Hex no T1, e eu só tinha um Manectric ativo, e mais nada na mão, então sabia que se ele conseguisse matar aquele ativo, eu iria perder, e como só tinha uma Ultra Ball na mão, precisei dar Ultra Ball para Manectric para não perder, com isso tava torcendo para que viesse alguma carta de compra boa no próximo turno. Ele conseguiu dar Lysandre no meu Manectric e nocauteou. No meu turno, fiz um Mega no banco e passei. Eu continuava muito zicada, não comprei nada.  Ele acabou conseguindo encher o banco, e buscou Lysandre para nocautear o meu Mega.

No 3° jogo, vim sem básico por 5 vezes. Já sabia que tinha perdido aquele momento se não conseguisse dar um Judge ou um Hex Maniac. Comecei, fiz Manectric no banco com energia, coloquei Raikou como ativo, usei Shaymin para tentar buscar Hex ou Judge mas não veio nada, nem Battle Compressor, já que eu tinha VS Seeker na mão. Acabei dando um Sycamore, e ali eu já sabia que tinha perdido. Nos próximos turnos, eu fiquei tentando fazer Mega no banco com Assault Vest, mas de nada adiantou. Ziquei muito.

10-3-2

Fiquei muito triste de ter perdido no TOP8, pois sabia que tinha condições de ganhar aquela partida com facilidade se meu Deck tivesse jogado 10% do que deveria jogar. Mas tudo bem, confesso que fiquei bastante orgulhosa do meu deck e de mim mesma pela conquista. Acabei terminando o Nacional em 6°. Agradeço muito ao meu namorado, Gabriel Semedo, por sempre ter paciência comigo, por sempre me ajudar a montar as melhores listas, e por ser meu companheiro para todas as horas. Te amo muito!
Quero agradecer muito a todos que treinaram comigo e me ajudaram muito, como meus amigos, Chuck, Raphael Branco, Thiago Conforti e Augusto Lespier.
Sou eternamente grata a eles e tenho certeza que não teria chego tão longe sem eles.

Gostaria também de parabenizar a todos que fizeram top, e ao Raphael Branco por ter ganho o nacional. Foi muito merecido! Parabéns também ao Gabriel Semedo, por se mostrar um dos melhores jogadores do Brasil, pela temporada incrível que fez e pelo Top16 no Nacional. Além do mais, gostaria de parabenizar a Copag pelo torneio e pelas melhoras que vem fazendo. Ainda tem várias coisas para melhorar, como a premiação que foi péssima, um ou outro juiz que não estavam devidamente capacitado para estar ali, e o atraso entre as rodadas. Mas, com certeza, os eventos evoluíram bastante já.

Obrigada a todos que leram!

Nathália Fernandes. 

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s